80% das transações do BB já acontecem online. Foto: Divulgação.

O Banco do Brasil acaba de anunciar uma reorganização interna, que inclui entre suas medidas a criação da Unidade Inteligência Analítica.

A nova unidade deverá centralizar o acompanhamento das evoluções, inovações e desenvolvimento de técnicas, ferramentas e soluções com uso de Inteligência Analítica e de Inteligência Artificial, aponta o BB em nota.

O banco não chega a explicar em detalhes o funcionamento da nova unidade, incluindo quem deve liderá-la, ou a quem ela estará subordinada no organograma interno.

Em linhas gerais, a orientação está clara: reduzir a presença física e o número de funcionários e apostar em tecnologia no atendimento.

O Banco do Brasil deve transformar em pontos de atendimento 333 agências espalhadas pelo país (o BB tem mais de 5 mil agências) além de lançar um plano de demissões voluntárias.

“Esse movimento do BB surge a partir da contínua melhoria e digitalização de processos e produtos; a revisão e o aperfeiçoamento do modelo de atendimento e de relacionamento e o robusto desenvolvimento de soluções para os canais digitais”, explica o banco em nota.

Hoje, 80% das transações feitas pelos clientes do Banco do Brasil já acontecem em celulares e na Internet. Ainda em 2017, foi lançado um chatbot para Facebook através do Watson, plataforma de computação cognitiva da IBM. 

O BB também está investindo no chamado open banking, um modo de trabalhar pelo qual empresas podem ter acesso ao seu sistema, visando ofertar serviços, na sua maioria online.

A lista dos parceiros inclui a startup de comparação de empréstimos consignados Bxblue e ContaAzul, uma plataforma de gestão em nuvem para pequenas empresas.

O BB foi o primeiro banco da América Latina a fazer uma operação estruturada de Open Banking com o lançamento do Portal do Desenvolvedor em junho de 2017.

A página para desenvolvedores concentra as informações das APIs (Application Programming Interface) que o Banco do Brasil oferece aos desenvolvedores de aplicativos, que, por sua vez, colaboram com a criação de produtos financeiros integrados.