Google decidiu ter infra local. Foto: Pixabay.

O Google terá em 2017 um data center no Brasil, hospedado na estrutura de terceiros e focado em oferecer hospedagem para aplicações empresariais.

O anúncio foi feito pela empresa nesta quinta-feira, 29. Não foi aberto o valor do investimento ou quem será o fornecedor da multinacional americana. 

A decisão de ter uma presença no Brasil fez parte uma movimentação mundial, com a qual o Google visa aproximar-se de concorrentes como Amazon e Microsoft, que tem data centers distribuídos pelo globo, inclusive por aqui.

Hoje, as soluções do Google para o mundo corporativo são ofertadas a partir de seis regiões, contra 17 da Amazon e 34 da Microsoft.

No caso do Brasil, dá para dizer que o Google teve que dar o braço a torcer. A companhia abriu o primeiro data center na América Latina em 2012 no Chile, falando em investimentos de “longo prazo” no data center de US$ 150 milhões.

O Chile foi escolhido por ter custos de energia e impostos mais baixos. Mas quando o assunto são aplicações corporativas, latência e localização de dados contam. 

O Google disse que dados de aplicações com o Gmail, usadas pelo consumidor final, não serão hospedadas no país.

A estimativa é que o mercado de serviços na nuvem no país tenha um crescimento médio de 20% ao ano até 2020, segundo a empresa de pesquisa IDC. Segundo a Frost & Sullivan, a receita dos provedores deve ficar próxima dos US$ 3 bilhões em 2016.