Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A Tembici, startup que opera o sistema de aluguel de bicicletas do Itaú, recebeu um aporte de US$ 80 milhões em rodada série C liderada pela Crescera Capital, gestora brasileira da venture e private equity.

A rodada também marca a entrada do fundo americano Endeavor Catalyst e do brasileiro Pipo Capital. Uma pequena parcela do aporte também vem de dívidas ESG do Itaú e Santander. 

Fundada em 2010 por Tomás Martins e Maurício Villar, a Tembici surgiu através de um projeto de conclusão de curso da Poli-USP e tem como principal patrocinador de seus projetos o Itaú Unibanco e, recentemente, o iFood. 

 Hoje, a empresa opera uma frota de 16 mil bicicletas, das quais 1 mil são elétricas, distribuídas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Salvador. A próxima cidade a entrar no mapa da startup será Brasília. 

A companhia atua também em Buenos Aires, na Argentina, e Santiago, onde desembarcou em 2016 com a compra da companhia Bike Santiago.

O serviço de bicicletas compartilhadas esteve em alta a partir do ano de 2018, mas com a chegada da pandemia, a ideia saiu de moda e muitas empresas precisaram encerrar suas atividades.

A Tembici, no entanto, apresentou um crescimento de mais de 50% na receita no período e, em 2020, recebeu um aporte de US$ 47 milhões em rodada da série B liderada pela Valor Capital e pela Redpoint eventures.

Segundo o site InfoMoney, a startup fatura mais de R$ 100 milhões por ano e projeta um faturamento anualizado superior a R$ 180 milhões em 2021.

Segundo Tomás Martins, CEO e co-fundador da Tembici, o novo aporte proporcionará grande crescimento da companhia e da indústria.

“Vamos ampliar os investimentos em tecnologia e dados, consolidar as  bicicletas elétricas e um novo modelo de negócio muito focado no ciclo entrega. Além disso, estamos muito animados, porque a rodada vai permitir a expansão do serviço não só para as cidades em que já atuamos, mas novos mercados na América Latina.” relata Martins.

Segundo o CEO, os recursos da rodada também serão aplicados na ampliação das equipes de tecnologia, produto e dados, que hoje reúnem aproximadamente 100 funcionários. A estimativa é aumentar esse quadro em pelo menos 50% no curto prazo. 

A Crescera Capital atua desde 2008 no mercado brasileiro e é uma gestora independente de private equity e venture capital com, aproximadamente, R$3,7 bilhões sob gestão.