Amaggi Energia administra cinco pequenas centrais hidrelétricas no Mato Grosso. Foto: Divulgação.

Para promover maior interação e controle quanto à tramitação de documentos que passam por uma série de aprovações dentro de cada projeto, a Amaggi adotou o sistema Colaborativo, fornecido pela Construtivo. O contrato inicial contempla a Amaggi Energia, voltada para investimentos em energia renovável, não poluente e de baixo impacto ambiental.

Uma das quatro unidades de negócios da companhia, que também atua no setor de Comoddities, Agro e Navegação, além da Fundação André e Lúcia Maggi, focada no desenvolvimento de trabalhos sociais, a Amaggi Energia administra cinco pequenas centrais hidrelétricas, ou PCHs. 

Todas estão localizadas em Mato Grosso e, juntas, têm potência instalada de, aproximadamente, 70MW. 

É nesta área específica que o software de colaboração está apoiando a companhia para a organização e gestão das informações geradas, que envolvem a aprovação e o desenvolvimento dos projetos executivos dos desenhos e das especificações do empreendimento.

Com a tecnologia, é possível realizar a análise do layout dos projetos para verificar se tudo está dentro das conformidades exigidas. 

Como um sistema de colaboração, a ferramenta permite que haja interação e modificações no projeto por parte de todos os envolvidos.

Tudo fica registrado, informando a data e o responsável pela atualização. Todas essas informações estão armazenadas no data center do Construtivo e são disponibilizadas na nuvem.

Com o Colaborativo, a Amaggi ganhou agilidade na validação dos projetos e na exclusão de uma interface para o envio e o recebimento de documentos. 

Mesmo que o projeto, antes, fosse enviado por e-mail de um fornecedor ao outro, não existiam registros formalizados de que o documento, de fato, havia chegado ao seu destino, o que implicava em confusões entre as empresas e maior tempo para este trâmite. 

Quanto às finanças, a solução proporcionou à companhia a redução de aditivos gastos para rastrear a informação sempre que um fornecedor alegava não ter recebido um documento. 

Outro ponto importante sob a ótica das finanças, é em relação ao acréscimo de prazos e custos que poderiam ser solicitados pelos fornecedores à Amaggi. O fornecedor poderia cobrar valores da companhia por causa de impactos no projeto efetuados por outros parceiros. 

Com a rastreabilidade que o sistema propicia, é possível verificar se o desenho foi revisado apenas posteriormente, ou se a falha foi da empresa que solicitou maior prazo e outros custos, identificando quem, de fato, cometeu o erro e, assim, desonerando a Amaggi de ter que realizar mais investimentos.

Fundada em 1977, a Amaggi está presente em todas as regiões do Brasil, além da Argentina, Paraguai, Holanda, Noruega e Suíça.  

O Construtivo foi fundado em 1999 pelo Banco Santander espanhol iniciando suas atividades como prestador de serviços na área de tecnologia voltada à construção civil. 

Em 2004, a operação brasileira se tornou independente e hoje, a Construtivo tem cerca de 100 clientes ativos, entre eles CSN, Voith, Cyrela Sul, Direcional, Rodobens, Makro, UHE Belo Monte, Rumo, Schahin e Raízen.