Bibi faz calçados para crianças. Foto: Divulgação.

A Bibi, uma fabricante de calçados infantis gaúcha, apostou em tecnologia para as suas novas lojas no formato light, pensadas para ser um ponto de venda mais enxuto.

As lojas não vão ter um caixa físico tradicional. As vendas serão fechadas na máquina de cartão de crédito da Rede.

A novidade é possível por um módulo do software software para gestão de varejo para os segmentos de calçados, vestuário e acessórios BusinessShop, da gaúcha Server Softwares, que possibilita fechar vendas na máquina de cartão, celulares ou tablets.

O aplicativo permite ainda consultar o estoque, realizar o cadastro do cliente e receber o pagamento com emissão de comprovante do cartão, impressão ou envio da nota fiscal ao consumidor. 

“Sem dúvidas, pagar é um atrito. Fila é um atrito.  Cadastro é um atrito. Com o caixa móvel conseguimos finalizar a venda sem que o cliente precise se levantar do banco que está sendo atendido”, aponta Vivian Oliveira, gerente de Operações Varejo da Bibi.

A primeira loja light da Bibi foi lançada em agosto no Shopping Conjunto Nacional, que fica em Brasília, no Distrito Federal. 

A marca prevê a implantação de, ao menos, mais 15 pontos de operação até o final do ano deste novo conceito de negócio. Ao todo, a Bibi tem 120 lojas espalhadas pelo país.

Sediada em Novo Hamburgo, cidade na região metropolitana de Porto Alegre que é um grande polo calçadista, a Server atente 60 clientes, totalizando 3 mil lojas de marcas como Enzo Milano, a Usaflex, Piccadilly e Jorge Bischoff, entre outras.