Leandro Balbinot, durante participação em evento da Amcham.

Leandro Balbinot, ex-CIO das Lojas Renner e atualmente em busca de recolocação no mercado, foi eleito pela Oracle como um dos cinco melhores profissionais clientes da multinacional em todo mundo.

A premiação faz parte do Oracle Excellence Awards, divulgado na edição de janeiro/fevereiro da publicação mundial da empresa. Balbinot é o representante da América Latina.

O texto na revista destaca o uso pioneiro de tecnologias Oracle na Renner, que implementou o E-Business Suite em 2006 e foi uma das primeiras varejistas usar aplicações do Oracle Retail.

“Um bom CIO não deve mais se esconder atrás de tecnologia. No lugar disso, ele deve estar na mesa discutindo prioridades de negócio e aconselhando quais são o tipo de investimento que a companhia deve fazer”, explicou o executivo à publicação da Oracle.

Balbinot foi contratado pela Lojas Renner em 2008, vindo de uma posição de diretor global de TI da AB-InBev nos Estados Unidos.

A saída de um profissional do nível de Balbinot da Renner e o perfil do seu substituto mostram que nem sempre as organizações tem a mesma percepção dos gestores de TI sobre as prioridades da área.

O executivo teve seu cargo assumido por Emerson Silveira Kuze, então gerente geral de Tecnologia da Informação.

Kuze é um profissional que fez carreira na Renner dentro da área financeira, começando em 1998 como auditor interno e fez carreira nessa área, assumindo em 2007 como gerente de auditoria e prevenção de perdas.

Segundo fontes próximas ouvidas pelo Baguete Diário, a nomeação de Kuze para a posição traduz um desejo da companhia por cortar custos no departamento de TI.

A incompreensão entre o que os CIOs entendem como uma contribuição para o negócio e a visão do resto do C-level inclusive já virou tema de uma pesquisa da Ernst & Young com resultados desanimadores para os profissionais de tecnologia.

De acordo com dados do estudo, 60% dos gerentes de TI dizem agregar valor na definição de estratégias corporativas. Apenas 35% de seus colegas C-level concordam.

A pesquisa, feita com 301 profissionais sêniores de empresas, incluindo representantes da América Latina, aponta também que apenas 43% dos CIOs afirmam estar envolvidos em profundidade nos processos decisórios das corporações.

APERTO NO VAREJO

A desaceleração da economia brasileira e a queda das taxas de juros estão passando a conta para o varejo, o que pode estar por trás da decisão da Lojas Renner de colocar um profissional com um background financeiro à frente da TI.

A Lojas Renner fechou o segundo trimestre de 2012 com crescimento de 14,2% na receita líquida, atingindo R$ 955,5 milhões – as vendas nas mesmas lojas, que excluem operações abertas nos últimos 12 meses, subiram 3,4% - e viu os lucros caírem 8,9% para R$ 103,5 milhões.

Do total da receita, 11% vem de serviços financeiros, nos quais a empresa está sendo forçada a reduzir as taxas de juro pela queda geral das taxas.

No começo de novembro, a Renner começou a praticar juros menores: 9,8% ao mês, no máximo. As taxas máximas anteriores cobradas eram de 12% no empréstimo pessoal e 15,8% no rotativo do cartão. A taxa mínima, no empréstimo pessoal, passou de 6,9% para 4,9%.