Gestores aderiram ao sistema para monitorar acessos dos colaboradores. Foto: flickr.com/photos/midianinja.

A Mineração Taboca contratou a Palo Alto Networks para garantir a segurança do tráfego de rede. Para isso, adquiriu duas plataformas PA-5020 para cada uma de suas unidades no Brasil: uma em Porapora do Bom Jesus, no interior de São Paulo, e outra em Pitinga, localizada a 300 km de Manaus. 

“Vimos que a plataforma de segurança da Palo Alto Networks é eficaz no controle do tráfego de dados, permite à companhia liberar a grupos específicos o uso de vídeos e redes sociais com tranquilidade”, informa João Luiz Serafim, CEO da Mineração Taboca.

Em 2013, a mineradora investiu em nuvem privada para centralizar a operação de infraestrutura de TI e gerar alta disponibilidade da rede.

Com navegação mais acessível, os gerentes sentiram a necessidade de controlar o conteúdo acessado pelos funcionários no ambiente de trabalho.

Na companhia, são 10 servidores para atender cerca de 700 usuários em serviços com firewall, antivírus, domain controller, web services e active directory.

“Com o ambiente centralizado e administrado por uma equipe especializada, temos tranquilidade para pensar no nosso negócio. As perdas geradas por paradas, seja por problemas técnicos ou por questões de manutenção na rede elétrica, acarretavam prejuízos imensuráveis à operação. Atualmente não temos mais esse tipo de problema”, reflete o CIO da empresa, Marcos Bueno de Oliveira.

De acordo com os executivos, a equipe de TI da empresa detectou uma tentativa de invasão no sistema de alguém na Índia e com a nova solução descobriu rapidamente, evitando problemas maiores. 

A Palo Alto atua com 30 canais no Brasil e está presente em todos os continentes com 12,5 mil clientes. 

A empresa, que abriu capital na Bolsa de Nova York em 2012, teve receita total de US$ 96,5 milhões no segundo trimestre fiscal de 2013, alta de 70% ano sobre ano.

De acordo com relatório do Gartner, menos de 10% das conexões de internet são hoje protegidas por firewalls de próxima geração, os NGFWs, especialidade da Palo Alto.