Eduardo Carvalho. Foto: reprodução.

A Equinix, multinacional de serviços de data centers que recentemente teve a fusão de suas operações com a Alog, anunciou o início da construção da segunda fase de seu data center na zona norte do Rio de Janeiro, seu segundo site na cidade.

A nova fase terá investimentos de US$ 17 milhões, em um projeto conduzido pela Aceco TI, especializada na construção e manutenção de data centers e que foi responsável pela inauguração do site, que custou inicialmente US$ 24 milhões.

A conclusão das obras está prevista já para julho de 2015 e dobrará a capacidade total do local para 630 racks, possibilitando a expansão da carteira de clientes da companhia. Hoje, o centro conta com 72 clientes hospedados.

Entre os clientes estão a Decatron, empresa especializada em projeto, fornecimento, implementação, gestão e otimização de TI, e a XP Investimentos, que hospeda sua infraestrutura, também, nos data centers da Equinix em São Paulo e Tamboré.

Segundo Eduardo Carvalho, presidente da Equinix no Brasil, a fusão entre a multinacional e a Alog exigiu a aceleração dos investimentos locais para suportar a demanda, tanto regional quanto internacional.

"A demanda internacional cresce cada vez mais, principalmente depois que nos tornamos parte da plataforma global Equinix. Muitas empresas que já eram clientes em outras regiões e possuem interesse em estar aqui no Brasil", afirmou Carvalho.

Único Tier III comercial no Rio de Janeiro, o data center da Equinix na zona norte tem capacidade de funcionamento de 99,982% do tempo durante o ano, e é o primeiro no Brasil com área disponível para data center container.

A segunda fase de construção desse data center é uma das muitas expansões realizadas pela Equinix em seus 100 sites por todo o mundo. No início deste mês, a companhia também anunciou a abertura de novos data centers em cinco grandes mercados: Londres, Melbourne, Nova York, Cingapura e Toronto.

No início de março a Equinix anunciou a fusão total de marca com a Alog. Com isso a companhia brasileira passa a utilizar o nome e a identidade da Equinix localmente em seus data centers e razão social.

Desde 2011, a Alog tem se adaptado ao modelo de negócios da Equinix e a transição gradual permitiu à empresa construir uma base sólida para posicionar a companhia como data center neutro.

Em abril de 2011, a Equinix e a Riverwood Capital compraram, em parceria, 90% das ações da Alog em uma transação avaliada em aproximadamente US$ 126 milhões – a plataforma global passou a ser detentora de 53% da organização.

Pelo acordo, a Equinix tinha participação majoritária na empresa brasileira e poderia concluir a compra depois de três anos. Em julho de 2014 o restante da Alog foi adquirido em transação comercial de US$ 225 milhões.