A IBM vai investir US$ 3 bilhões em uma nova unidade de IoT. Foto: JuliusKielaitis/Shutterstock.

A IBM vai investir US$ 3 bilhões nos próximos quatro anos em uma nova unidade de Internet das Coisas (IoT, em inglês). A ideia da empresa é vender seus conhecimentos especializados em coleta e interpretação da torrente de dados em tempo real.

A companhia disse que seus serviços serão baseados remotamente na nuvem, e oferecerão para empresas maneiras de usar as fontes de dados novas e em cada vez maior número, como smartphones e eletrodomésticos, para aprimorar seus próprios produtos.

Para sua primeira grande parceria, a IBM disse que uma unidade da Weather Co moverá seus serviços de dados sobre clima para a nuvem da IBM para que clientes possam usar os dados em conjunto às ferramentas de análise da IBM, segundo a Reuters.

Como resultado, a IBM espera que companhias sejam capazes de combinar previsões meteorológicas em tempo real com diversos dados empresariais para que possam se adaptar rapidamente a padrões de compras de consumidores ou a questões da cadeia logística ligadas ao clima.

Por exemplo, seguradoras poderiam enviar mensagens a segurados em certas áreas onde são esperadas chuvas de granizo e informá-los sobre lugares seguros para estacionar, economizando dinheiro a todos os envolvidos.

A IBM disse que já está trabalhando com algumas grandes companhias, como a fabricante alemã de pneus Continental e a fabricante de turbinas de jato Pratt & Whitney para ajudá-las a usar dados em seus processos.

Em fevereiro, a IBM já havia anunciado um investimento de US$ 4 bilhões em áreas estratégicas. Chamadas de "imperativos estratégicos" pela Big Blue, as áreas que receberão o investimento são as de nuvem, analytics, mobilidade, redes sociais e tecnologias de segurança.

O objetivo da empresa é que estas novas áreas cresçam rapidamente e cheguem a um faturamento de US$ 40 bilhões até 2018, compondo mais de 40% da receita total da multinacional.