Carlênio Castelo Branco. Foto: divulgação

A Senior, fabricante de ERP com sede em Blumenau e filiais em São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, adotou uma solução da também catarinense Dígitro para unificar a gestão de tráfego de dados de suas unidades.

O projeto engloba atividades de relacionamento técnico e comercial da Senior, o que envolve um universo de mais de 10 mil clientes corporativos em todo o país.

Para integrar o tráfego dos dados desta rede, a solução adotada conta com recursos de PABX, call center, URA (Unidade de Resposta Audível) e ferramentas de gerenciamento.

Na prática, a empresa irá substituir uma central telefônica convencional por uma suíte de ferramentas que permite a gestão de demandas e custos de telefonia.

“Poderemos gerir custos e performance dos recursos de comunicação, liberando-os de acordo com as necessidades de cada unidade”, conta o gerente de Tecnologia e Sistemas de Informação e Comunicação da Senior, Anderson Felício.

Além disso, segundo ele a central também tem recursos para otimização de serviços ao público, incluindo gravação das chamadas e supervisão online, além de eliminar as filas de espera no atendimento, por meio de uma opção de retorno da ligação para o cliente.

Ganhos que fomentam as metas da Senior. 

A empresa, que que fechou 2011 com R$ 400 milhões em volume de negócios, alta de 14% sobre o ano anterior, projeta encerrar 2012 com R$ 480 milhões, segundo o presidente, Carlênio Bezerra Castelo Branco.

Além da matriz em e filiais, a empresa conta com mais de 100 canais distribuídos por todo o Brasil, além de atuar no mercado latino-americano.

Ao todo, emprega cerca de três mil pessoas, entre colaboradores, parceiros comerciais e canais de distribuição.

Já a Dígitro é especializada em soluções de Telecom, serviços de infraestrutura de TI, aplicações de inteligência e encerrou 2011 com faturamento de R$ 115 milhões.

A companhia, sediada em Florianópolis, também está presente em todos os países latinos, com filial no Peru e escritório no Paraguai, e também nos de língua portuguesa, como Portugal e Angola.