Alexandre Mafra. Foto: divulgação Totvs.

A Totvs aumentou seu lucro líquido no segundo trimestre de 2014 em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo R$ 64 milhões.

A receita líquida, por sua vez, cresceu 11,1% em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior e contabilizou R$ 439,3 milhões. 

Somados os últimos 12 meses, o valor da receita foi de R$ 1,7 bilhão, 14,9% acima do mesmo período do ano anterior, superando também o crescimento médio ponderado dos últimos cinco anos.

Outro destaque no 2T14 foi o crescimento de 16,2% frente ao 2T13 da receita recorrente, que é composta principalmente pelos contratos de manutenção, aluguel de licenças de softwares e de serviços de Cloud Computing. 

A receita recorrente totalizou R$ 259 milhões no período e R$ 975,8 milhões no acumulado dos últimos 12 meses, apresentando crescimento de 13,9%.

O EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de R$ 110,9 milhões, alta de 12,1%, com margem de 25,3%, superando a margem apresentada no mesmo período do ano anterior em 30 pontos base. 

“Os investimentos em especialização por segmento e o empenho do time nos permitiram alcançar esses resultados e nos levam a continuar perseguindo os objetivos que estabelecemos para este ano”, destaca Alexandre Mafra, vice-presidente executivo financeiro da Totvs.

O número de aumento da receita fica um pouco abaixo da média anual de 14% no ano passado e dos 13% dos cinco anos anteriores.

Em nota, a empresa ressalta que os resultados foram obtidos mesmo “com o menor número de dias úteis devido à realização da Copa do Mundo”.

De qualquer maneira, a Totvs parece ter mantido uma estabilidade nos resultados, enquanto a SAP, seu principal concorrente no mercado de ERP no Brasil, está passando por algo mais parecido com uma montanha russa.

Depois de divulgar altas de 56% e 107% na receita total e na receita de software e serviços relacionados [a empresa não abre cifras] nos dois primeiros trimestres do ano passado, a multinacional passou a esconder o jogo nas suas últimas divulgações de resultados. 

No primeiro semestre, quando a SAP revelou crescimento de “um dígito” na receita total e na receita de software e serviços relacionados. 

No segundo, revelou ainda menos, falando crescimento de “três dígitos” da receita com vendas de aplicações de negócios baseadas em nuvem. No caso da plataforma de computação em memória SAP Hana, o crescimento foi de “dois dígitos”.

Agora é ver como os resultados se mantém nos próximos semestres a ponto de causar uma alteração na participação das empresas no mercado de sistemas de gestão.

Segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV), até o final de 2013, a Totvs dominou a faixa que envolve empresas que possuem entre 170 e 700 teclados, com 41% de participação, ante 24% da SAP, 17% da Oracle e 18% de outras empresas.

No segmento de empresas menores, com até 170 teclados, a liderança da Totvs é mais significativa, com 52% frente a 9% de SAP e Oracle e um número importante de outros, com 30%.

Quando a faixa muda para empresas com mais de 700 teclados, a empresa alemã passa a ser a líder, pouco mais da metade do mercado, 52%, contra 21% da Oracle, 20% da Totvs e 7% de oturas empresas.