Equipe da Joule. Foto: Divulgação.

Entrou no ar em agosto a Projeto Joule, uma startup social sem fins lucrativos focada em ajudar jovens a entrar no mercado de trabalho. O time conta com profissionais que atuaram em empresas como Google, Microsoft, Symantec, Dell e Locaweb.

A partir de um grupo de voluntários, a startup oferece consultoria na montagem de currículo e perfil no LinkedIn, treinamento para entrevistas, mentoria para montagem de plano de carreira, oportunidade de contato com executivos, e outras iniciativas. 

Fernando Schneider, fundador do programa, já foi gerente de vendas do UOL e gerente de desenvolvimento de negócios do Google. Hoje, Schneider está na Microsoft, como parte de um MBA da Dartmouth College.

A equipe conta ainda com Renato Romero, da FranklinCovey; Eric Santos, engenheiro de software da Microsoft; Bruno Barreto, gerente de vendas do Google for Work na América Latina; Jéssica Travassos, especialista em vendas e marketing; e Shirley Schneider, que atuou na Dell por cinco anos.

Na primeira semana de projeto, o grupo passou a auxiliar um grupo de 30 pessoas.

“Nós também vamos conectar as pessoas com voluntários que trabalham onde elas gostariam de trabalhar, como forma de network. Estamos estudando parcerias com empresas para poder encaminhar as pessoas que ajudamos para processos seletivos ao fim do atendimento”, explica Schneider.

O grupo também está recrutando pessoas interessadas em trabalhar como voluntárias para ajudar os jovens.

“As exigências são poucas. A pessoa tem que ter comprometimento com a causa, preencher uma ficha de inscrição e ter alguma experiência de trabalho. Uma coisa que aprendemos é que não se precisa ser um alto executivo para ajudar pessoas que estão começando”, explica;

A startup fornece um material e o treinamento necessário para que os voluntários ajudem os membros cadastrados. 

Além de jovens em início de carreira, a startup também tem como alvo os profissionais mais experientes, mas que precisam dar uma "turbinada" na carreira.

“Nascemos com a missão e o desejo de ajudar quem está precisando sem pedir nada em troca. A trajetória do nosso time é similar nesse sentido, pois todos vieram de uma situação complicada e foram beneficiados por boas pessoas com bom exemplos”, relata Schneider.

No futuro, no entanto, ele não descarta a possibilidade de criar um serviço pago.

“O plano com custos pode ser até para subsidiar o crescimento do programa para aqueles que precisam e não tem recursos, o que sempre será nossa missão”, completa.

Os estudantes interessados podem escolher o programa que mais se encaixa com a sua necessidade do site da empresa, que tem opções como “consultoria de currículo” e “preparação para entrevistas”.

Os profissionais interessados em atuar como voluntários também tem uma área do site focada na seleção de programas em que pode ser mentor.