Rodrigo Flores.

A Telbras, empresa de atuação nacional do ramo de EPI e sinalização sediada em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, trocou o sistema de gestão Business One, da SAP, pelo Eligo, criado pela PRD, da vizinha São Leopoldo.

A companhia usava o Business One há quatro anos e optou pela migração para reduzir custos de suporte e ter mais autonomia de desenvolvimento, explica o diretor de TI da Telbras, Rodrigo Flores.

Alguns recursos adicionais foram a emissão de nota fiscal eletrônica de consumidor, um portal de acompanhamento de pedidos para clientes e uma ferramenta de dashboard para a diretoria.

“Já tivemos aqui todos os tipos de softwares, do pequeno caseiro, ao gigante SAP. E por experiencia optamos por uma empresa local, onde não somos apenas mais um cliente na base”, avalia Flores.

A PRD vem trabalhando as implantações do Eligo em conjunto com a  CTZ.Soluções, uma companhia de desenvolvimento de  Porto Alegre com maior atuação no setor público que desde o ano passado vem trabalhando para diversificar a base de clientes.

Com 98 colaboradores, a empresa tem projetos nas áreas de desenvolvimento de software, DBA, BI, projeto e administração de redes, helpdesk, design, digitalização de documentos, dentre outros. A meta para o ano passado esse era crescer 68%, atingindo um faturamento de R$ 7,6 milhões.

O Eligo é focado empresas das áreas de comércio, indústria e serviços de médio e pequeno porte. O sistema já foi implantado na Paramalhas, de Caxias do Sul, representante exclusiva da indústria alemã de máquinas para malharias Stoll.

Também está em curso a implantação no CRQ V – Conselho Regional de Química da 5ª Região (RS). 

O caso da Telbras ilustra as dificuldades da SAP em progredir no mercado de pequenas e médias empresas, onde é mais difícil de replicar as relações quase matrimoniais que a multinacional alemã mantém com seus clientes de grande porte.

A base de empresas usuárias de Business One no país gira em torno de 6 mil, um número significativo (8% da base mundial do produto), mas pequeno frente ao tamanho potencial do mercado e aos 10 anos de presença da solução no país.

Segundo aponta uma pesquisa sobre o mercado de TI feita pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV), a SAP tem 10% de participação no mercado de empresas com até 170 usuários de ERP, contra a 51% da Totvs. A categoria “outros”, soma 27% do bolo total.