Carlênio Castelo Branco, CEO da Senior. Foto: Divulgação.

A Senior, especializada na oferta de software para gestão empresarial, de pessoas, logística e de controle de acesso, fechou o primeiro semestre com uma receita bruta acumulada de R$ 130,4 milhões, uma alta de 7% frente aos resultados do ano passado.

O resultado é uma desaceleração do ritmo de crescimento da empresa, que fechou o ano passado com um crescimento de 15%, totalizando R$ 257,5 milhões, um sinal de que a companhia catarinense sentiu o impacto da desaceleração econômica.

“Nossa expertise em sistemas especializados para gestão tem conquistado novos clientes e contribuído para o crescimento da empresa. Ainda que o país siga enfrentando desafios econômicos, permanecemos com boas perspectivas de negócios para 2017”, afirma o CEO da Senior, Carlênio Castelo Branco. 

Fechando o ano com crescimento, e com a aguardada aceleração da economia em 2018, a Senior terá atravessado bem o período de crise, longe do ritmo de 24% de crescimento ao ano de 2014, mas ainda assim no positivo, diferente de muitas empresas da área de tecnologia.

As soluções voltadas à Gestão de Pessoas (RH) da empresa seguiram como a linha de produtos com maior receita no primeiro semestre deste ano, atingindo R$ 59,1 milhões, seguida por ERP, com R$ 32,2 milhões, e pela linha de Acesso e Segurança, com R$ 17,4 milhões.

Os serviços de cloud computing tiveram um aumento de 74% em relação ao mesmo período de 2016, com R$ 5,2 milhões de receita.

Entre as novidades para este ano estão o lançamento de soluções para a área de logística, que vão permitir o monitoramento de entregas e roteirização, e de uma solução única de CRM desenvolvida especialmente para o agronegócio. 

O semestre também foi marcado por uma série de movimentações da empresa.

Em junho, a Senior realizou a integração de uma assistente virtual à sua solução Gestão Empresarial (ERP), sendo a primeira empresa da América Latina a incorporar em um sistema de ERP a plataforma de computação cognitiva da IBM, o Watson.

Três meses antes, a companhia passou a fazer parte da Associação Brasileira de Internet Industrial, criada para acelerar a tecnologia na indústria brasileira, e unir empresas em prol da melhoria da produtividade por meio da convergência entre dados e máquinas. 

Em julho, a Senior se associou à Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), que representa 42 empresas e 16 instituições, e trabalha para fomentar o mercado brasileiro de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

Atualmente, a Senior conta com cerca de 1,3 mil colaboradores distribuídos entre a sede em Blumenau, filiais, escritórios e unidades de negócios e cerca de 100 canais de distribuição em todo Brasil.