Uma das maiores fabricantes de computadores quer mais receita em software

A Hewlett-Packard quer um salto na receita do seu negócio de software, disse a presidente-executiva Meg Whitman ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.

“Quero dobrar ou triplicar a receita em software do atual nível de US$ 5 bilhões", disse Whitman, sem falar em prazos.

Whitman, nomeada em setembro para substituir Leo Apotheker, disse que a companhia ainda não tomou nenhuma decisão sobre o futuro da plataforma de software móvel Palm webOS.

“Isso é complicado”, respondeu ao jornal quando questionada sobre o futuro da unidade. “Precisamos de uma boa decisão, não de uma decisão rápida”, acrescentou.

No mês passado, fontes disseram à agência Reuters que a HP estava pensando em vender a Palm webOS. O negócio poderia chegar a centenas de milhões de dólares, menos do que os US$ 1,2 bilhão que a fabricante pagou no ano passado.

A ex-presidente-executiva do eBay defendeu a compra por US$ 12 bilhões da fabricante britânica de software Autonomy, concluída em outubro.

O negócio, o centro de uma polêmica mudança estratégica que custou o emprego de Apotheker, “foi uma boa aquisição”, segundo Whitman disse na entrevista publicada nesta quinta-feira, 01.

“A Autonomy tem potencial e podemos fazer dela uma unidade de rápido crescimento”, disse.

Oito semanas após a conclusão do negócio, a HP lançou os primeiros produtos com tecnologia da Autonomy.