Adrinei e Márcio Kaiser, os diretores da Diponto

A porto-alegrense Diponto pretende incrementar com expansão no exterior sua meta de crescimento para 2011, estipulada em 20% sobre os R$ 3 milhões faturados no ano passado.

Para isso, a empresa fechou um contrato com a Equipos Bancarios Dulon, de Bogotá, que adquiriu os relógios de ponto DPSin e Sirene, além do software desenvolvido para uso nos equipamentos, em um case piloto para iniciar a distribuição das soluções.

“Foi uma compra piloto para uso próprio. Aprovando o produto, eles passarão a revender”, explica o diretor da companhia gaúcha, Adrinei Kaiser. “A negociação foi feita através de uma parceria com a Apex-Brasil, com intermédio do Sindvel - Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica”, ressalta.

A Dulon produz e vende soluções de segurança, controle de tempo/acesso e proteção de bens e valores.

A aliança com a empresa colombiana é uma aposta da Diponto para expandir seus negócios no exterior, mercado no qual atual desde 2009, quando iniciou as vendas do modelo Sirene para países como Líbia, Malásia e Coréia do Sul, além da própria Colômbia.

“No mercado interno, a maior parte de nossa produção é vendida para fora do mercado gaúcho. Hoje, 39% de nossa comercialização fica aqui, e o restante vai para outros 21 estados”, detalha Marcio Kaiser, também diretor da Diponto.

Segundo ele, os principais mercados são São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais e Paraná.

Na sequencia, com menor participação, vêm Bahia, Rio de Janeiro e Ceará.

A Diponto atua na fabricação de equipamentos e soluções para controle de acesso, segurança e sinalização corporativa.

A carteira de clientes traz nomes como Tumelero, Ughini, Puras e De Sírius.