A HTC revelou resultado não auditado do seu terceiro trimestre deste ano e apontou que seu lucro ficou em 18,63 bilhões de dólares taiwaneses (equivalentes a US$ 615,3 milhões).

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 68%.

Já a receita da fabricante taiwanesa de smartphones teve expansão de 79% na mesma base de comparação, saltando para 135,82 bilhões de dólares taiwaneses (cerca de US$ 4,4 bilhões), ante os 75,85 bilhões do terceiro trimestre de 2010.

Os resultados indicam que a empresa não se abalou com a compra do Google pela Motorola.

A aquisição, anunciada no dia 15 de agosto desse ano, por US$ 12,5 bilhões, foi vista como uma ameaça aos parceiros do Google na plataforma móvel Android, já que poderia privilegiar o desenvolvimento no hardware da nova empresa.

Chamada Open Handset Alliance, a coalização tem na HTC uma das principais participantes.

Além de assinar o primeiro celular do Google, o G1, ou Dream, a empresa é a marca por trás dos Google Phones, que vinham com a marca do buscador no chassis.

Outra parceria do Google são Samsung.

Tanto a Samsung quanto a HTC já manifestaram interesse de lançar plataformas móveis próprias, desde o anúncio da aquisição pela Motorola.

O Google garante que a compra não afetará outros parceiros.