A Apple apresentou nessa quarta-feira, 07, a nova versão do iPad, cuja principal novidade é a tecnologia 4G, que pode oferecer conexões em média dez vezes mais rápidas que o 3G, em uso hoje.

O novo iPad iPad terá a mesma autonomia de bateria que o iPad 2 – podendo chegar a 10 horas de uso sem recarga. O modelo terá 9,4 milímetros de espessura e 635 gramas de peso.

Além disso, o preço inicial é similar ao praticado hoje nos Estados Unidos, com US$ 499 cobrados para a versão de 16 GB de memória e acesso à internet apenas via Wi-Fi.

O novo iPad também vai suportar mais duas tecnologias de terceira geração – HSPA+ e HSDPA de canal duplo –, além do LTE 4G. É uma forma de compensar a ausência do 4G onde não está disponível.

Nos Estados Unidos, a operadora AT&T já trabalha com a tecnologia. Já no Brasil, as faixas de frequência para a velocidade devem ser leiloadas às operadora pela Anatel no mês de maio. O prazo é de redes em operação até a Copa do Mundo de 2014.

Outras novidades incluem câmera de 5 megapixels com estabilização de imagem e um sistema de escrita por ditado.

Dentro do chassis, o o novo iPad traz o processador AX5, com quatro núcleos de processamento gráfico, fundamental para suportar a enorme quantidade de pixels a ser processados.

Phil Schiller, VP de marketing da Apple, diz que esse chip tem quatro vezes o poder de processamento gráfico do seu rival Tegra 3, da Nvidia.

No último trimestre de 2011, a Apple vendeu 15,4 milhões de iPads.

O aparelho estará disponível a partir 16 de março por US$ 499, US$ 599, e US$ 699, nas versões 16 GB, 32 GB, e 64 GB, nas versões Wi-Fi.

Com tecnologia 4G os preços sobem para US$ 629 (16 GB), US$ 729 (32 GB), e US$ 829 (64 GB).

Estará à venda nos EUA, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Suiça, Japão, Hong Kong e Singapura.