As vendas globais de computadores pessoais – incluindo desktops, notebooks, netbooks e ultrabooks – vão atingir 368 milhões de unidades em 2012, segundo a consultoria Gartner.

O índice representaria um crescimento de 4,4% em relação a 2011.

De acordo com a empresa de pesquisas, o maior desse mercado salto acontecerá no fim de 2013, quando a projeção é de que o segmento supere o volume de 400 milhões de unidades.

“As vendas de PCs vão permanecer fracas em 2012, enquanto o mercado de computadores pessoais ainda busca alcançar o novo nível de inovação que os consumidores querem ver nos dispositivos que eles compram”, afirma Ranjit Atwal, diretor de pesquisas do Gartner.

Para o executivo, a grande questão é se o Windows 8 ou os ultrabooks conseguirão criar uma oferta que faça com que os consumidores voltem realmente a se interessar por esses dispositivos.

A estimativa dos analistas é de que os ultrabooks passem a atrair maior atenção no segundo semestre, na medida em que os fabricantes começam a olhar esse dispositivo como uma alternativa para revigorar os PCs móveis.

Em outra frente, a adoção crescente de serviços pessoais de computação em nuvem – conceito pelo qual os arquivos e programas são acessados via internet – vai trazer outros desafios para os PCs em relação à necessidade de diferenciar esses equipamentos de outros dispositivos, como os tablets.

Por outro lado, o estudo observa que os mercados emergentes são a chave para impulsionar o crescimento mundial das vendas de PCs, tanto em curto como em longo prazo.

A expectativa é de que os países em desenvolvimento respondam pela maior parte da expansão global da categoria em 2012 e 2013, com um salto de participação de 50% das vendas em 2011 para cerca de 70% em 2016.