O TouchPad, tablet descontinuado e vendido num torra-torra da HP no meio do ano, deve ter um revival promocional no próximo domingo, 11, a US$ 99 e US$ 149.

Segundo o site TechCrunch, o aparelho será vendido na seção da HP no varejista online eBay, nas versões 16 GB e 32 GB. Serão modelos usados e “recauchutados”, conforme o site, com 90 dias de garantia pela fabricante.

Não foi revelado quantas unidades do TouchPad estarão disponíveis.

Anunciado em meados de 2011, o TouchPad não chegou a dois meses de mercado, sequer sendo vendido oficialmente pela empresa no Brasil – é possível encontrá-lo em sites de vendas online.

Tido como um forte concorrente da Apple no início, especialmente pela plataforma WebOS, herança da aquisição da Palm pela HP, o aparelho, aos poucos, foi esquecido nas prateleiras, em detrimento de modelos com a plataforma Android, como os fabricados pela Samsung e pela Motorola.

Conforme o TechCrunch, os modelos estarão disponíveis apenas pela internet.

Balaião do tablet
Inicialmente anunciado a US$ 599, o aparelho rapidamente caiu para US$ 499, até chegar aos US$ 99 de agosto, mês em que foi oficialmente descontinuado.

Junto com o Touchpad, a empresa enterrou US$ 100 milhões em tablets estocados. As promoções foram uma tentativa de reduzir o prejuízo dos 260 mil aparelhos que foram comprados de volta dos canais de venda.

A meta da HP era vender entre 45 milhões e 48 milhões de notebooks e tablets em 2011. Do total, entre 8,8% e 10,4% devem ser tablets, segundo informou o site asiático DigiTimes no início do ano.

Fora do mercado
Com o último saldo do TouchPad, a HP dá o último suspiro num mercado de 18 milhões de unidades vendidas em 2010, e que deve chegar a 400 milhões de usuários em 2014, com 185 milhões de tablets nesse mesmo ano – 10 vezes mais que o ano passado.

Eletrônico de consumo de maior adesão da história – superando os DVDs – os tablets são liderados pela Apple, com o iPad, e por fabricantes da plataforma Android.

No Brasil, segundo a IDC, foram vendidos 13,7 milhões de computadores em 2010. O resultado elevou o país ao quarto lugar no ranking mundial, atrás dos Estados Unidos, China e Japão.

A empresa prevê que nesse ano sejam vendidos localmente 300 mil tablets entre os brasileiros.