A Lenovo anunciou os resultados para seu terceiro trimestre fiscal, encerrado em 31 de dezembro de 2011.

O lucro operacional do período foi de US$193 milhões, alta anual de 55%.

Em vendas, os resultados do trimestre somaram US$ 8,4 bilhões, crescimento de 44% em relação ao ano anterior.

Já as remessas de PCs da Lenovo cresceram 37% no período.
 
Conforme nota oficial da empresa, este foi o 11º trimestre seguido em que a companhia teve crescimento mais rápido do que a indústria como um todo, e o 9º consecutivo de expansão mais rápida do que qualquer outra das quatro principais fabricantes de computadores do mundo.

“Durante o terceiro trimestre, que compreende o período de outubro a dezembro de 2011, a Lenovo registrou seu mais alto market share já alcançado, 14%, e seu mais alto market share já alcançado na China, 35,3%, um aumento de 3,7 e 3,1 pontos de participação em relação ao ano anterior, respectivamente”, afirma o comunicado.
   
O diretor geral e presidente da Lenovo, Yang Yuanqing, afirma que a escassez mundial de HD no trimestre passado, reclamada por diversos fabricantes e ocorrida em função das chuvas nas Ásia, não abalaram o ritmo de expansão da companhia.

“Continuamos alcançando resultados recordes em market share e lucro, assim como a alta recorde com a renda bruta de US$192 milhões”, afirma o executivo. “Pela primeira vez, nos tornamos a empresa que mais vende PCs comerciais e desktops de consumo no mundo”, completa.

Em outras linhas, a Lenovo também se expandiu: vendeu mais de 6,5 milhões de telefones (cerca da metade, smartphones), atingindo market share de dois dígitos na China neste segmento, no último trimestre do ano passado.

Só nos mercados emergentes – Brasil, Rússia, Índia, China-, as vendas consolidadas da Lenovo totalizaram US$1,3 bilhões no trimestre, aumento de 13% em relação ao ano anterior.

Já o market share da companhia subiu 1,2 pontos percentuais nestes mercados, chegando a 7,8%.

Na América Latina, as remessas de computadores da empresa cresceram 54% ano/ano.

“Hoje, figuramos como a segunda maior empresa de computadores do mundo, servindo clientes em mais de 160 países”, afirma Yuanqing.
Formada pela aquisição da antiga IBM Personal Computing Divisionm a Lenovo,mantém centros de pesquisa e fábricas no Japão, China e EUA.