Tamanho da fonte: -A+A

Segundo especialistas em geologia, o terremoto no Japão não deve alcançar o Brasil.

Já o efeito dos tremores sobre o fornecimento de chips tem previsão de reflexos no mercado internacional, especialmente sobre smartphones e tablets, onde as memórias flash são frequentes, informa a agência Reuters, com base em declarações de analistas de mercado.

Após o devastador terremoto - de de magnitude 8,9 na escala Richter - e a tsunami desta sexta-feira, 11, a Toshiba, segunda maior fabricante de chips de memória flash NAND e a Samsung, fecharam suas fábricas.

A Sony fechou seis fábricas, duas em Fukushima e quatro em Miyagi, incluindo uma responsável por produzir laser de diodo usados em players de DVDs, Blu-rays, CD ROMs e Playstations. A Panasonic interrompeu a produção.

O analista Andrew Norwood, do Gartner, afirmou que o terremoto e a tsunami podem afetar os preços à vista, mas não devem ter impacto de longo prazo no mercado.

“Particularmente o mercado à vista tende a reagir com selvageria a qualquer tipo de incerteza ou dúvida”, disse.

Mark Harding, do Maxim Group em Nova York, afirmou que o terremoto claramente terá um impacto negativo na Sony, embora seja cedo para dizer qual será a extensão dos danos: “Mas esse momento é tipicamente o mais fraco em termos de consumo”.