Com queda de 18% no lucro do seu terceiro trimestre fiscal, a Cisco está planejando cortes em sua força de trabalho.

Segundo reportado pela empresa, o trimestre encerrado em 30 de abril fechou com lucro de US$ 1,8 bilhão. As receitas da empresa no trimestre cresceram 4,8% se comparadas ao mesmo período do ano anterior, somando um total de US$ 10,9 bilhões.

As vendas de equipamentos (a grande fatia da receita) cresceram 2,8%, enquanto o segmento de serviços teve crescimento de 14%.

Os cortes em despesas com funcionários, anunciou a empresa, farão parte do movimento de recuperação das margens de lucro. Esse é o quinto trimestre consecutivo que a empresa vê seu lucro ser menor que o ano anterior, informou o Wall Street Journal.

As vendas da empresa passam por um período de “congelamento”, relatam agências de notícias.

Desde meados do ano passado, e nos últimos meses, o CEO, John Chambers, vem argumentando que a Cisco tem competido em muitos mercados, sinalizando a intenção de simplificar radicalmente a companhia.

No mês passado, a Cisco anunciou o fechamento da sua divisão de câmeras de vídeo Flip, além de uma reorganização de sua área de produtos para consumo final.

Entre as mudanças anunciadas no mês passado, a Cisco também planeja combinar seu serviço de teleconferências caseiras Umi ao TelePresence, seu serviço de teleconferências para empresas.