A lista apresentada pelo CEO da Foxconn, Terry Gou, à presidente Dilma Rousseff com reivindicações para a instalação de uma nova montadora da empresa no Brasil, agradou o setor.

Uma das empresas que se mostra favorável a novos investimentos é a HP.

“Se o governo criar condições favoráveis para companhias como nós, vamos observar as oportunidades e expandir nossa produção por aqui”, afirmou Léo Apotheker, presidente da empresa que está fazendo sua primeira visita à América Latina, começando pelo Brasil.

De acordo com matéria publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nessa quinta-feira, 12, a HP já colocou o Brasil entre os mercados prioritários do mundo para pesquisa de tecnologias – uma das unidades de pesquisa está no Tecnopuc, em Porto Alegre

Graças aos pedidos da Foxconn ao governo brasileiro, diz o jornal, a companhia de Apotheker poderá também expandir a produção de equipamentos no país.

Em entrevista ao jornal, Apotheker se mostra reticente quanto à contratação de 100 mil profissionais pela Foxconn, mas diz que a estratégia poderá ser boa para a HP como segundo maior cliente da taiwanesa.

Atualmente a HP fabrica localmente impressoras, notebooks, desktops e netbooks em regime terceirizado -com parceiros como Flextronics, Jabil e Foxconn- e servidores em fábrica própria em Sumaré (SP).

“Adoramos a lista de requisitos da Foxconn ao governo brasileiro. Ela é um sonho da indústria”, complementou Oscar Clarke, presidente da HP Brasil.

Entre os pedidos estão garantia de incentivos do BNDES, mudança na legislação fiscal, internet de alta-velocidade; prioridade para exportação em portos e aeroportos; apoio financeiro do BNDES.

Além disso, a Foxconn quer fibra ótica em 100% dos escritórios.

Leia a matéria completa da Folha (para assinantes) nos links relacionados abaixo.