Presidente da Perto, Thomas Elbling

A empresa gaúcha Perto S/A, fabricante de soluções de hardware e software para os segmentos de automação bancária e comercial anunciou nessa quarta-feira, 15, o investimento de R$ 38 milhões para ampliação da fábrica em localizada em Gravataí – a 23 quilômetros de Porto Alegre.

Do total, R$ 26 milhões são destinados para a compra de equipamentos. Outros R$ 12 milhões serão destinados à ampliação da área construída, que passará de 33 mil para 41 mil metros quadrados.

Segundo a empresa, 180 novos empregos nas áreas de manufatura, usinagem, fábrica de cofres, pintura, montagem, testes, engenharia e suporte devem ser gerados, sendo 90% da mão de obra local.

A previsão de início da obra é setembro de 2011, com conclusão estimada em oito meses.

“Avaliamos diversos locais, principalmente no Norte e Nordeste, mas optamos por manter o projeto no Rio Grande do Sul”, afirmou o presidente da Perto, Thomas Elbling.

Durante a construção, serão contratados 60 trabalhadores temporários diretos e indiretos, estima a Perto. Destes, 70% contratados da mão de obra local.

No setor varejista, a meta com a ampliação é intensificar a oferta de soluções específicas como impressoras fiscais, scanners, terminais de ponto de venda (POS), leitoras e gravadoras de cartões.

Crescimento em POS
Em pouco mais de um ano no mercado de POS – depois de investimentos de US$ 9 milhões para criação da unidade focada no setor, em 2009 – a Perto faturou no ano passado R$ 10 milhões, apenas com o setor.

Para 2011, a estimativa é que a área, voltada à produção de máquinas para pagamentos de contas com cartões de crédito e débito, renda o dobro para a empresa.

Projeção baseada nos contratos já conquistados no setor: o de estreia, por exemplo, foi com a Cielo, especializada em meios de pagamento eletrônico com 1,14 milhão de estabelecimentos credenciados no Brasil e faturamento de R$ 1,83 bilhão em 2010.

Na área de POS, a capacidade de produção da companhia é de 100 mil terminais/ano.

Cenário favorável
No Brasil, o cenário favorece o crescimento. No setor de cartões de crédito e serviços, por exemplo, o primeiro trimestre de 2011 encerrou com faturamento de  R$ 145,2 bilhões, sendo R$ 83,7 bilhões em cartões de crédito, um aumento de 23% em relação ao mesmo período no ano passado.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os dados mostram que o mercado acompanhou o crescimento da economia brasileira.

Os cartões de débito apresentaram faturamento de R$ 43,3 bilhões, com crescimento acima da média, 25%, e os cartões private label responderam por R$ 18,2 bilhões, 21% de aumento. As transações também cresceram, em uma média de 17% em relação ao mesmo período em 2010.

No período, a Cielo, uma das maiores empresas de pagamento eletrônico no Brasil, parceira da Perto, informou alta de 14,1% em relação ao 1T10.

Perto S/A
A Perto emprega cerca de 1,5 mil colaboradores e exporta seus produtos para 25 países. No ano passado, a Perto faturou, no geral, cerca de R$ 255 milhões. Para este ano, a meta é crescer em torno de 20%, atingindo receita na casa dos R$ 320 milhões.

Com filial em Alphaville, a empresa tem escritórios em 14 cidades brasileiras, vendendo para o Brasil e outros 25 países.