O Brasil encerrou 2010 com 100 mil tablets vendidos, aponta a consultoria IDC.

Segundo o IDC, o número inclui as vendas oficiais e o mercado cinza – composto por consumidores que trouxeram o aparelho do exterior ou o importaram ilegalmente.

Não foram especificados os números por marca fabricante.

Preço ajudou no sucesso
Para o coordenador de pesquisas da IDC, Luciano Crippa, o preço de chegada dos tablets ao País foi fundamental para o sucesso do segmento. Ele diz que o preço esperado era por volta de R$ 2 mil, e acabou em torno de R$ 1,6 mil, facilitando a adesão do produto.

Os principais responsáveis pelo resultado, aponta a IDC, foram os aficionados por tecnologia.

De acordo com o estudo, o número de vendas poderia ter sido maior, mas ainda existem barreiras, como a falta de familiaridade dos consumidores e os interessados analisam lançamentos.

300 mil em 2011
A previsão é que em 2011 as vendas cheguem, e possivelmente poderão ultrapassar, à casa dos 300 mil tablets. A grande movimentação acontecerá, principalmente, no segundo semestre, quando devem chegar ao Brasil os produtos que estão sendo apresentados agora no exterior.

Segundo o relatório, os tablets devem concorrer não só em sua categoria, mas também com o mercado de netbooks.

Os dispositivos ainda devem movimentar o segmento de PCs e Smartphones, mas a princípio a IDC não prevê queda nas vendas destes dois segmentos.

Para a IDC, os planos do governo em torno da redução de impostos e precificação acessível dos tablets no País não devem impactar a estimativa para este ano, mesmo que a iniciativa tenha início ainda em 2011.