Leo Apotheker, presidente-executivo da HP,  prometeu mais lucro, mais dividendos e mais nuvem no futuro da empresa.

O CEO reuniu-se com investidores, pela primeira vez desde que assumiu a dianteira da empresa em  novembro, nessa semana.

A missão era tranquilizar, já que os preços das ações da HP estão em queda desde a partida do último CEO.

Na pressão do mercado, Apotheker disse que a meta é elevar o dividendo trimestral em 50%, para US$ 0,12 por ação, a partir de maio.

A empresa planeja elevar seu lucro por ação excluindo itens extraordinários a pelo menos US$ 7 no ano fiscal de 2014, um avanço de 53% em relação a 2010.

Para chegar nas metas, um plano de expansão no mercado de computação em nuvem é o trunfo.

A HP lançará um “mercado nuvem” e diversas ofertas para consumidores, empresas e criadores de aplicativos, explicou o executivo, o que a colocará em concorrência com empresas como a Amazon.com.

“Trata-se de um mercado imenso. São os nossos clientes que estão nos pressionando a criar esses serviços. Existe muita demanda por computação em nuvem”, aposta Apotheker.

O CEO destacou que a HP tem investido em novas tecnologias, como WebOS, e fazendo aquisições que auxiliarão os clientes para não apenas construir e tirar vantagens da nuvem, mas também ficarem conectados a ela “em casa, na estrada ou no trabalho”.

Segundo o executivo, o portfólio da HP se encaixa nas principais tendências que impactam aTI, incluindo consumerização, aceitação crescente de cloud e uso de aparelhos móveis por funcionários.

As novas apostas não envolvem o abandono de setores-chave para a empresa hoje.

Conforme frisado por Apotheker, a HP tem liderança em mercados com servidores, aplicações de clientes, storage, rede e outras áreas importantes para infraestruturas de nuvem, bem como os parceiros certos para ir ao encontro das necessidades dos clientes.