Câmeras vão monitorar o nível de barragens e de rios em Blumenau (SC)

O Departamento Estadual de Infraestrutura de Santa Catarina (Deinfra) assinou contrato de cerca de R$ 800 mil com a TecVoz para a implementação de um sistema de segurança eletrônica em áreas de risco de enchente em Blumenau – no Vale do Itajaí, a 139 quilômetros de Florianópolis.

O objetivo é prevenir danos e orientar a população em caso de desastres naturais, monitorando o nível dos rios e das barragens.

“Pela internet, qualquer pessoa pode visualizar alguns indicadores”, explica Leonardo Vitulli, gerente de marketing da TecVoz.

Nos links relacionados abaixo, você acessa a página no site do Deinfra com o monitoramento, atualizado a cada 30 minutos, em três pontos da região.

Enxurradas em fevereiro
Em fevereiro desse ano, fortes chuvas deixaram 82 municípios catarinenses em situação de emergência.

As enxurradas afetaram diretamente 6.976 residências e 860.828 pessoas em todo o estado. Em Blumenau, 12 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas. Foram 328 habitantes desalojados ou desabrigados.

Foram registrados 72 deslizamentos de terra e 45 pontos de alagamento no período. À época, a prefeitura calculou os gastos das obras de recuperação em R$ 3,4 milhões.

Esforço de prevenção
Além de câmeras Speed Dome 30x, implantadas pela TecVoz, fazem parte do sistema a medição via satélite do volume nos reservatórios – o novo modelo permite que o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) controle e acione a abertura de comportas através da internet.

O projeto de monitoramento e acionamento das barragens via satélite foi desenvolvido pela Eletrek, em parceira com a ASP Segurança Eletrônica, distribuidora da TecVoz, localizada em Blumenau.

Um software específico foi desenvolvido pela TecVoz para atender ao projeto.

De olho nas comportas
“Pelo sistema informatizado, é possível dar autonomia ao governador do estado de Santa Catarina, diretor da Defesa Civil, ou qualquer pessoa subordinada, para abrir ou fechar, se necessário, as comportas”, explica Vitulli.

Também foram utilizados no projeto outros componentes da empresa como câmeras profissionais. As imagens são transmitidas ao satélite pelo DVR e direcionadas ao centro de monitoramento do Deinfra, sediado na capital do estado.

“É um trabalho pioneiro em todo Brasil e já chamou a atenção da Defesa Civil de diversos estados”, observa Sandro Schimitt, diretor da ASP Segurança Eletrônica.

Chance de expansão
Já há projetos de expansão do sistema para outras barragens e monitoramento situados nos ribeirões da cidade de Blumenau. “O modelo é hoje uma ferramenta importante que ajuda a defesa civil a tomar as medidas necessárias”, completa Vitulli.

Fundada em 1999, a TecVoz iniciou  atividades no mercado de CFTV – Circuito Fechado de TV – em 2002. No ano passado, o faturamento da empresa, especializada em armazenamento, transmissão e captação de imagem e voz via rede ou internet, teve alta de 30% na comparação com o ano anterior.

A TecVoz não revela o valor nominal do faturamento. A empresa diz ter hoje 140 mil clientes.

No ano passado, o faturamento da empresa – cujo valor nominal não é revelado – teve alta de 30% sobre 2009. Para 2011, a previsão é manter o mesmo índice de crescimento.