Tamanho da fonte: -A+A

Em nota assinada por seu vice-presidente financeiro, a Positivo Informática negou nessa segunda-feira, 17, que esteja negociando seu controle acionário.

Segundo o site do jornal Valor, Ariel Szwarc diz que os acionistas controladores foram consultados e esclareceram que os rumores sobre uma possível venda da empresa "não têm qualquer fundamento, uma vez que inexiste negociação em curso".

O comunicado foi encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), já que a boataria estaria influenciando na alta das ações da empresa.

"A Positivo Informática não tem conhecimento de qualquer informação relevante não divulgada pela companhia que possa justificar as oscilações de preço e volume acima referidas", prossegue o comunicado.

Os rumores são reflexo de informações recentes, divulgadas no último final de semana.

Conforme o Valor, o presidente da Lenovo, Rory Read, disse em entrevista à revista IstoÉ que não descarta a compra de uma empresa no Brasil, mas garantiu que “não vai fazer nenhuma loucura”.

Em 2008, a Positivo já foi alvo de aquisição da Lenovo.

Um dos atrativos da Positivo para a fabricante chinesa seria a estrutura fabril. Além disso, a rede de distribuição e as parcerias com o varejo chamam a atenção da empresa, que, conforme destaca a Isto É, ainda engatinha.

A empresa faz parte do grupo Positivo, um dos maiores do setor de educação do país, fundado por um grupo de professores que em 1972 pensou em criar um cursinho pré-vestibular. No ano passado, o grupo faturou R$ 2,7 bilhões.

A Positivo Informática foi fundada em 1989 e abriu seu capital em 2006. Os controladores detêm 70% das ações.