A Nissan criou uma capa para iPhone que utiliza a tecnologia de pintura automotiva Scratch Shield.

Desenvolvida pela empresa há sete anos, a invenção se regenera por meio de nanotecnologia, e já é usada em veículos da linha Nissan, como Murano, 370Z e X-Trail, e da linha Infiniti.

Essa é a primeira vez que a tecnologia é aplicada em um produto não-automotivo.

O invento foi desenvolvido pela Nissan em colaboração com a Universidade de Tóquio e a Advanced Softmaterials Inc., em 2005. Ele permite que pequenos arranhões sejam reparados automaticamente em menos de uma hora - riscos mais profundos podem se regenerar em até uma semana.

Além disso, o gel da tinta não brilha tanto quanto o de uma pintura convencional, mas oferece uma superfície mais aderente, e o plástico ABS agrega maior rigidez e robustez.

Um lote inicial de protótipos do iPhone com a inovadora capa da Nissan foi produzido para testes.

Se a demanda mostrar-se alta, diz Bob Laishley, diretor de Programa de Desenvolvimento de Negócios Exteriores da Nissan na Europa, o produto chega à larga escala no final do ano.

“O iPhone Shield é um grande exemplo de como aplicar tecnologia automotiva de enorme impacto para os nossos clientes em um outro produto de todos os dias”, diz finaliza Laishley.

Levantamento realizado em 2010, avaliando o iPhone 4, coloca essa versão do gadget da Apple no topo da lista dos mais frágeis, com 82% a mais de incidentes de problemas na tela que a geração anterior, o iPhone 3GS.

Apesar dos problemas, enfatizou a SquareTrade, que realizou os testes, os iPhones ainda são mais resistentes que outros modelos da concorrência.

Na comparação com BlackBerrys, os modelos da Apple foram considerados muito mais duráveis.