Dados da consultoria IDC indicam que foram vendidos 3,6 milhões de computadores no primeiro trimestre de 2011, uma alta de 22% frente ao mesmo período no ano anterior.

Segundo Martim Juacida, analista de mercado da IDC, os primeiros meses do ano apresentam, em geral, um movimento menor de negociações entre fabricantes e canais, já que o varejo inicia o ano abastecido por conta do Natal e realiza queimas de estoque nos meses seguintes.

“Com a demanda aquecida nos segmentos doméstico e corporativo, a sazonalidade tem diminuído consideravelmente no mercado de PCs desde o 3º trimestre de 2010”, explica.

De acordo com o levantamento, 49,5% dos computadores vendidos são desktops e 50,5% notebooks. Na divisão por área, 68,6% foram destinados ao segmento doméstico, 26,9% ao corporativo e apenas 4,5% à soma de governo e educação.

“Um sinal claro de que a indústria de PCs está se tornando mais madura é o fato de os consumidores já não esperarem apenas datas comemorativas, como Natal, por exemplo, para comprar seu computador. Nossa expectativa é de um mercado bastante aquecido e muito impulsionado pelo segmento doméstico durante todo o ano de 2011”.

A consultoria apontou ainda que, durante o primeiro trimestre deste ano, o mercado de notebooks cresceu 58% e o de desktops caiu 1,4% em relação ao mesmo período de 2010.

Segundo os dados da IDC, o Brasil ocupa a quarta posição no ranking mundial dos países que mais vendem computador no mundo.

Estão à frente Estados Unidos, China e Japão.