A Caixa Econômica Federal receberá do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os dados do cadastro biométrico de eleitores, que servirão para evitar fraudes no pagamento de benefícios previdenciários ao contribuinte.

Segundo informa a Exame, a ideia é usar a tecnologia do cadastro biométrico para identificar o cidadão pela impressão digital e garantir a segurança no pagamento do Programa Bolsa Família e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Atualmente, a Caixa é responsável pelo pagamento de 12 milhões de benefícios do Bolsa Família. E como foco na agilidade do processo, pretende implantar um projeto piloto do uso da digital para liberar o pagamento programa nas cidades de Luziânia e Formosa, em Goiás, e em Fortaleza, no Ceará.

Além disso, no próximo mês, a iniciativa visa Jundiaí, em São Paulo.

Conforme a Exame, o vice-presidente de Tecnologia da Caixa, Joaquim Lima de Oliveira, acredita que no futuro será possível sacar benefícios sem usar senha e cartão, apenas por meio da digital do cidadão.

Em contrapartida ao recebimento dos dados do TSE, a Caixa vai fornecer 500 equipamentos aos tribunais regionais eleitorais (TREs) para que seja feito o cadastramento biométrico dos cidadãos. Assim, is dados cadastrados pelos TREs serão repassados à Caixa.

No mesmo contexto, o recadastramento feito pelos tribunais também será o primeiro passo para o Registro de Identidade Civil, documento único que substituirá a carteira de identidade, o CPF e o título de eleitor, a ser emitido pelo Ministério da Justiça.