Apesar da liderança na fabricação e venda de computadores no Brasil, a Positivo teve um ano difícil no mercado financeiro, com 44% de queda nas ações desde janeiro, apurou o portal Exame.

Somente nos últimos 30 dias foi 28% de queda na Bovespa.

No terceiro trimestre a empresa teve queda de 74% no lucro líquido e uma redução de 65,6% no EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

Com os resultados, as ações, que estrearam na BM&FBovespa negociadas a R$ 23 reais em 2006, acabaram cotadas em torno de R$ 11.

Segundo a Exame, o tombo é consequência da agressividade de grandes nomes mundiais como Apple e HP.

“A concorrência atingiu principalmente o preço dos notebooks, abatidos em 16,9% pelo cenário competitivo no período”, explica Sandra Peres, analista da Coinvalores, que mantém as ações da companhia em revisão após o balanço extremamente negativo.

Pesam para a maré de baixas a competição maior no mercado e falhas internas que têm resultado no aumento das despesas com assistência técnica e garantia durante o terceiro trimestre.

O cenário sombrio deve mudar em 2011, apontam analistas, com ajuda do momento favorável ao consumo de tecnologia e à classe C, na qual a empresa tem posicionamento forte,  aponta a matéria de Exame.

Leia o texto da Exame no link relacionado abaixo.