A Perto, fabricante gaúcha de equipamentos para bancos e varejo, será a responsável pela atualização dos mais de 25 mil caixas eletrônicos de bancos como Banrisul, Bradesco, Banco do Brasil, CEF e Sicredi para permitir a circulação das novas cédulas de Real.

As novas versões, anunciadas pelo Banco Central no fim de 2010, começaram pelas notas de R$ 50 e R$ 100, que tiveram mudanças no formato e layout.

Embora as notas já estejam em circulação, o processo de atualização dos equipamentos bancários vem sendo gradativo, já que as cédulas seguem coexistindo com as antigas.

Assim, até outubro de 2011 a Perto já adaptou mais de dez mil máquinas em uso pelas instituições bancárias.

A atualização compreende a substituição de cassetes que acondicionam as cédulas nos equipamentos.

Os bancos clientes da Perto pagam somente pelo serviço de adaptação, segundo a companhia, que não só tem atuado neste projeto em caixas eletrônicos, como também no PertoRecycler - cofre eletrônico utilizado na retaguarda de instituições com Banco do Brasil, por exemplo.

O PertoRecycler possui um dispositivo antifraude, capaz de verificar automaticamente se as notas são verdadeiras.

“O principal objetivo do Banco Central em criar uma nova família do Real foi dificultar ao máximo a falsificação de dinheiro”, afirma o diretor comercial da Perto, Marco Aurélio Freitas.

As novas notas contam com recursos de segurança, como uma faixa holográfica que apresenta variações de cores e formas de acordo com o movimento da cédula, marcas d’água, valor só exibido na posição horizontal, entre outros.

“O tamanho diferenciado das notas também é uma medida de proteção, já que inviabiliza a falsificação por lavagem química, técnica que faz, por exemplo, que uma nota de R$ 2 se transforme em uma de R$ 100”, comenta Freitas.