O prometido Natal dos tablets não deve contar com um iPad produzido no Brasil.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí (SP), o tablet da Apple não será mais produzido a partir de setembro deste ano na fábrica da Foxconn da cidade, como havia sido anunciado.

O vice-presidente do sindicato, Evandro de Oliveira Santos, é o iPhone que deve ser produzido a partir de setembro desse ano, com a transferência de alguns funcionários de outras linhas da Foxconn, que também produz para Dell, HP e Sony

Aproximadamente 800 pessoas devem ser contratadas para a nova produção. Até o fim do ano, os sindicalistas esperam que cerca de 3.000 funcionários sejam contratados.

Julho, setembro, ano que vem...
Anunciado em maio, após a viagem da presidente Dilma Rousseff à China, o acordo com a Foxconn previa o início da produção para o final de julho.

Antes mesmo de o prazo se esgotar, em junho, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, já informara que a produção sofreria um atraso.

O próprio Mercadante previu uma nova data: setembro.

Segundo a Folha de S. Paulo, a assessoria da Foxconn não divulgou data para o início da produção e afirmou que as atividades prosseguem "dentro do esperado".

A expectativa é de que a produção de tablets no Brasil barateie os modelos em até 40%.