O ânimo com os tablets segue em alta no Brasil desde o anúncio da Foxconn.

Agora, além das 12 empresas que segundo o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, estariam de olho no Brasil para abrir fabricação, os brasileiros deverão ostentar a primeira fábrica fora da Ásia a produzir as telas para os tablets, conhecidas pela tecnologia sensível ao toque.

Segundo o site do jornal Valor Econômico, a precisão é de outro membro do primeiro escalão do governo Dilma, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel.

“Hoje, só é produzida por empresas na Coreia do Sul, no Japão e na China”, enfatizou o ministro após participar de seminário promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Segundo ele, ainda hoje deverá ser publicada a portaria que regula o Processo Produtivo Básico (PPB) dos tablets no Brasil. No documento, revelou o ministro, deverão constar “exigências muito altas, muito pesadas”, referentes à utilização de componentes nacionais.

O PPB regras as etapas mínimas necessárias que as empresas devem cumprir para fabricar um determinado produto como uma das contrapartidas aos benefícios fiscais estabelecidos por lei.

“A partir de 2012, nós vamos incorporar cada vez mais nacionalização na produção do tablet”, afirmou Pimentel, destacando que, na fabricação das telas, será exigido 50% de conteúdo nacional já a partir do ano que vem.

Pimentel não disse quem fabricaria as telas no Brasil.

Em passagem por Porto Alegre no mês de abril, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, fez questão de destacar que com a vinda da Foxconn para o país poderíamos ser o primeiro site de produção dos displays fora do eixo asiático.