Uma pesquisa da Intel apontou que os tablets ainda estão muito atrás dos PCs quando o assunto é o desejo de compra do consumidor brasileiro.

 
De acordo com o levantamento “Tech Metrics Brasil”, produzido pela Ipsos Brasil, menos de 1% dos pesquisados declararam tanto ter quando pretender adquirir um tablet nos próximos 12 meses.
 
A Intel não revelou as cifras exatas no quesito tablets, mas eles parecem estar em linha com as informações já divulgadas, que apontam um número total de tablets vendidos no país em 450 mil até o final de 2011 e 1 milhão em 2012, ambas cifras abaixo de 1% da população brasileira, que de acordo com o último censo tem 192 milhões de habitantes.
 
A pesquisa ouviu 2,5 mil pessoas das classes sociais ABCD com idades entre 16 e 65 anos, que fossem usuários de computador, mesmo que não tivessem um em casa, em 16 regiões metropolitanas.  
 
As 16 regiões metropolitanas abordadas neste estudo incluem São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas, Votorantim, Curitiba, Porto Alegre, Balneário Camboriú, Brasília, Goiânia, Fortaleza, Salvador, Recife, Petrolina, Sobral e Belém.
 
Mobilidade em geral não apareceu em alta: apenas 2% dos entrevistados possuíam um smartphone, e apenas 1% demonstrou interesse em adquirir um nos próximos 12 meses. 
 
O líder em desejo de compra foi o velho PC: 47% dos entrevistados apontaram que sua próxima compra de eletroeletrônico deve ser um desktop, notebook ou netbook.
 
O estudo mostrou que 58% dos lares nas regiões metropolitanas do Brasil já possuem computadores, com uma presença ainda muito forte dos desktops. 
 
Enquanto 56% dos lares possuem pelo menos um desktop, apenas 15% possuem pelo menos um notebook. 
 
A penetração de notebooks é mais expressiva no Distrito Federal, onde o dispositivo já está em 25% dos lares, enquanto a média nacional é de apenas 15%. 
 
Em todo o Brasil, o notebook está fortemente concentrado na classe A (47% dos lares) e B (23% dos lares).
 
Já nas classes C e D, o desktop marca presença de modo mais expressivo. Enquanto 56% dos lares da classe C já possuem pelo menos um computador, o computador desktop já está presente em 22% dos lares da classe D.
 
IDC otimista
Dados da consultoria IDC apontam que o Brasil deverá encerrar 2011 com 450 mil tablets comercializados – tanto no mercado do varejo e operadoras quanto no mercado cinza.
 
No ano passado, foram 100 mil unidades comercializadas. E até o fim do ano passado, a projeção de vendas de tablets no Brasil para esse ano era de 300 mil.
 
Para 2012, a expectativa da consultoria é que a quantidade de tablets vendidos no país mais do que dobre, saltando para cerca 1 milhão de aparelhos.