Tamanho da fonte: -A+A

A Altus fechou um contrato de R$ 48 milhões com a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).

A companhia gaúcha  será responsável pela modernização e digitalização do sistemas que medem e controlam a usina hidrelétrica de Boa Esperança, localizada na cidade de Guadalupe, a 380 km de Teresina.

O contrato sozinho é quase a metade dos R$ 80,7 milhões de faturamento bruto da Altus de 2009, ano no qual a empresa teve uma alta de 27,64% em relação ao ano anterior.

Os sistemas desenvolvidos pela Altus irão atuar na geração e transmissão de energia para a população dos estados de Maranhão e Piauí. O projeto será desenvolvido em parceria com a  Energia Consult e deve ser entregue em 2013.

“A automação da Usina de Boa Esperança consolida a Altus como desenvolvedora e fornecedora de tecnologia brasileira para as grandes usinas do país. Estamos em lugar de destaque no setor de energia elétrica nacional”, afirma Fábio Eidelwein,  diretor operacional da Altus.

Em operação desde 1970, a Boa Esperança possui uma capacidade instalada de 237,3 kW. Com 95% da energia gerada por hidroelétricas, o Brasil é o quinto maior produtor no mundo, segundo dados da Aneel.

Em maio de 2007, operavam no país 158 usinas hidrelétricas, que produzindo um total de 74,4 milhões de kW. Sediada em São Leopoldo, a Altus tem uma unidade em Balneário Camboriú voltada exclusivamente para o segmento de energia elétrica.

Obras no setor de energia tem colaborado para a expansão da companhia. Em novembro de 2009 foi inaugurado o gasoduto Urucu – Manaus, responsável pelo maior contrato da história da Altus, totalizando R$ 50 milhões.

Contratos no exterior também tem dado sua contribuição. A Altus apareceu entre as seis companhias de TI mais internacionalizadas do país de acordo com a terceira edição da pesquisa  "As mais internacionalizadas" do jornal Valor Econômico.

A companhia de automação industrial ficou em sexto lugar no setor de TI e em 47º na classificação geral.