Thomas Elbling, presidente da Perto

A Perto vai decidir o local de construção de uma nova fábrica de unidades de autoatendimento bancário com um investimento total de R$ 38 milhões nos próximos três meses, muito provavelmente fora do Rio Grande do Sul.

De acordo com entrevista concedida à Revista Amanhã por Thomas Elbling, presidente da Perto, a matriz tributária do estado não favorece o empreendimento, já que os impostos locais acabam encarecendo o produto final em comparação com os equipamentos produzidos em São Paulo e Manaus.

“Já perdemos licitações para o Banrisul porque os nossos produtos eram mais caros. Uma empresa de fora acabou ganhando”, comentou o empresário à publicação. “Na situação de hoje, posso afirmar que a nova planta ficará fora do Estado”, completou Eibling na matéria, que está disponível na íntegra pelo link relacionado abaixo.

A previsão da Perto é faturar R$ 339,6 milhões em 2010, alta de 20% frente ao ano passado.