Mauro Lopes de Araújo

A gaúcha CP Eletrônica encerrou 2010 com crescimento em vendas da ordem de 23% sobre 2009, somando R$ 33 milhões. A receita líquida aumentou também 23% no ano, saltando para R$ 25 milhões.

Com base nos números, a empresa projeta para 2011 uma meta de vendas na casa dos R$ 38 milhões.

“Prevemos um aquecimento do mercado corporativo, nosso principal alvo”, afirma Carlos Pôrto, diretor-presidente da CP Eletrônica.

Conforme o executivo, um dos impulsos para o crescimento da companhia no ano passado foram investimentos em pesquisa e desenvolvimento.

Foi nessa divisão, por exemplo, que surgiu em 2010 a nova geração de processamento digital da empresa, que estará presente nos lançamentos a serem feitos este ano.

“Desenvolvemos também o inversor para geração de energia elétrica a partir da fonte solar, dentro de nossa política de priorizar as energias renováveis, e realizamos investimentos no aperfeiçoamento de nossos softwares, dando aos nossos nobreaks uma interface mais amigável com o usuário final”, detalha Pôrto.

Ainda este ano, segundo Mauro Lopes de Araújo, diretor Comercial da CP, a empresa gaúcha também pretende lançar uma nova ferramenta de gerenciamento remoto sem fio.

Pôrto complementa: “Indicadores externos sinalizam uma melhoria lenta, mas consistente, da economia mundial como um todo, com reflexos positivos no Brasil e o mercado interno aponta para mais um ano de crescimento. Obras em infraestrutura para eventos como a Copa e os Jogos Olímpicos irão impactar favoravelmente em nosso segmento”, conclui o executivo.

A CP Eletrônica tem sede em Porto Alegre e unidade em São Paulo.

A companhia atua na fabricação de nobreaks, estabilizadores, retificadores, analisadores de baterias, inversores, chaves de transferência, além de soluções para gerenciamento de todo o portfólio.

A empresa atende a clientes como ABN Amro Bank, AES Eletropaulo, ALL Logística, Banrisul, Bebidas Fruki, Coca-Cola, Gerdau e Oracle, entre outros.