A Samsung revelou nessa terça-feira, 30, três modelos de celular inteligente que operam com o sistema operacional próprio da companhia, o Bada.

Segundo a agência Reuters, o lançamento faz parte do esforço da empresa para expandir participação no segmento de preço mais baixo desse mercado e diversificar uma linha de produtos cujo foco principal é o Android.

Os modelos da série Wave refletem a mudança de estratégia da companhia sul-coreana, que quer trocar seu foco exclusivo em hardware por presença maior no campo do software.

Outro objetivo é unificar as diferentes linhas de produtos da companhia – celulares inteligentes, televisores, impressoras e computadores – em torno de sua plataforma de software e loja de apps.

De olho nos emergentes
O Wave 3 vem com tela AMOLED de quatro polegadas e câmera de cinco megapixels, e também o Wave M e o Wave Y, mais baratos.

O Wave M oferecerá a primeira ferramenta de mensagens instantâneas da Samsung, a chatON, e o Wave Y, o modelo básico, com tela de 3,2 polegadas, chegará às lojas em outubro.

Os três modelos se unem aos sete aparelhos da série Wave lançados desde que o primeiro produto equipado com o bada chegou ao mercado, em maio de 2010.

A Samsung, cuja linha Galaxy S ajudou a empresa a ser a segunda maior fabricante mundial de celulares inteligentes no segundo trimestre, agora vai concentrar suas atenções nos mercados emergentes, com aparelhos mais baratos, de preços inferiores a US$ 200.

Na semana passada, a companhia lançou quatro modelos baratos e médios equipados com o Android.

Efeito Googorola
Nos comunicados da empresa nada é citado, mas a guinada rumo ao Bada pode ser uma tentativa de fortalecer uma alternativa própria ao Android, do Google, especialmente depois da compra da Motorola pela gigante de internet.

Especula-se que o Google esteja atrás do modelo de verticalização adotado pela Apple – que assina design de produto e software do iPhone e do iPad – o que poderia resultar em desvantagem para outras marcas, como a Samsung.