A Dell duplicou sua presença em lojas de varejo em 2011.

Em evento realizado nessa quarta-feira, 30, em São Paulo, o diretor geral da Dell Brasil, Raymundo Peixoto, disse que a marca chegou a mais de mil estabelecimentos comerciais nesse ano.

Desde setembro de 2007, a empresa vende computadores no varejo brasileiro.

A empresa tem, inclusive, uma diretoria voltada exclusivamente para o canal de vendas, unidade que teve o número de funcionários triplicado nesse ano.

Os planos são de continuar ampliando a presença no comércio de varejo.

Conhecida pelas vendas diretas e por um serviço de assistência técnica especializado, a Dell lançou nesse ano, no Brasil, o serviço Garantia a Domicílio para todos os seus modelos de notebooks e desktops disponíveis no varejo.

Oferecido em redes como Colombo, Fast Shop, Fnac, Walmart, Ponto Frio, Submarino e Americanas, o serviço compreende em reparos na casa do consumidor ou pelo suporte técnico remoto.

Conforme o diretor Geral de Vendas para Consumidor Final e PMEs da Dell Brasil, Daniel Neiva, a Garantia a Domicílio já era oferecida nas vendas online.

“Agora, por demanda apresentada pelo consumidor, lançamos também no varejo”, afirma o executivo.

O serviço também vale para substituições de peças, que são feitas em um dia útil para capitais e cidades do interior de São Paulo.

Segundo o IBGE, os computadores ajudaram a elevar as vendas do varejo brasileiro em 2010. A categoria de equipamentos e materiais, informática e comunicação registrou alta de 24% entre janeiro e novembro do ano passado em comparação a 2009. Em um ano, o avanço foi de 21,3%.

Entre os fatores para o desempenho dessa categoria estão o aumento de renda da população; a retomada do crédito; a queda de preços dos produtos do gênero – principalmente os microcomputadores, com redução de 9,3% nos últimos 12 meses –; e a ampliação das vendas de celulares.

Na série com ajuste sazonal, a variação positiva em volume de vendas dos equipamentos e material para escritório, informática e comunicação foi de 10,5%. Já na comparação com novembro de 2009, a taxa de crescimento da categoria foi de 20,4%.

Leia a matéria do Valor Econômico nos links relacionados abaixo.