E-reader Nook salva a pele da Barnes & Noble

A Barnes & Noble (B&N), uma das maiores livrarias dos EUA, respira aliviada graças ao seu e-reader.

Em tempos de fechamento de empresas do ramo – como a Borders, que recebeu autorização judicial em junho para encerrar as atividades de 399 lojas nos Estados Unidos – a B&N obteve lucro, de 2%.

O resultado, referente ao primeiro trimestre deste ano, representa vendas totais de US$ 1,4 bilhão, em relação ao mesmo período do ano passado.

Nook de salvação
Segundo a empresa, a expansão é justificada pela forte demanda pelos produtos da linha Nook (o e-reader da livraria) - sobretudo o Nook Color e o Touch. Na carona do gadget, observou-se o crescimento de quatro vezes das vendas de conteúdo digital.

O consolidado de negócios movimentados por esse segmento - inclusive a venda de conteúdo digital, do dispositivo e acessórios - aumentou 140% no primeiro trimestre.

As vendas das lojas físicas da Barnes & Noble declinaram em 3%, para US$ 1 bilhão.

Apesar de ter melhorado o desempenho – as perdas caíram de US$ 30,7 milhões para US$ 23,6 milhões –, a livraria teve um prejuízo líquido de US$ 57 milhões no trimestre.