Wieselberg, da SafetyPay, anunciou a parceria com o Banrisul

Clientes do Banrisul poderão, a partir de julho, fazer compras em sites internacionais pagando diretamente via home banking, sem uso do cartão de crédito.

O banco estadual fechou parceria com a SafetyPay, empresa norte-americana que desenvolve um sistema de compras na internet para e-commerce usando o internet banking.

Pelo sistema, é possível acessar cerca de 2,5 mil estabelecimentos, incluindo varejo, serviços de turismo, vendas de joias e downloads.

A Amazon.com, um dos maiores varejistas online do mundo, inacessível aos usuários do Brasil sem cartão de crédito internacional, será o carro-chefe de divulgação da parceria entre Safety e Banrisul.

“As pessoas têm dinheiro, querem comprar, mas não usam o cartão por medo de terem os dados roubados. Nós oferecemos uma maneira de driblar isso”, diz Donald Wieselberg, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da SafetyPay.

Wieselberg anunciou a parceria no 4º Fórum Internacional de TI, promovido pelo Banrisul.

Quem tem medo da web?
Um dos atrativos do sistema, explica Wieselberg, é a segurança.

Números da consultoria e-Bit indicam que 40 milhões de pessoas no Brasil movimentaram a conta pela internet em 2010. Ou seja, muitos correntistas confiam na segurança dos endereços virtuais dos seus bancos.

“Na hora de usar o cartão é que a história muda. As pessoas desconfiam da segurança das lojas online”, diz o executivo.

Segundo a e-Bit, o número de brasileiros que usa o e-commerce, em 2010, foi de 23 milhões, quase metade dos que realizaram operações via internet banking.

Como funciona o SafetyPay
Pelo sistema SafetyPay, nenhuma informação bancária do usuário é armazenada na loja. Os únicos dados usados são o nome do estabelecimento, o valor e o número da fatura.

Na demonstração feita por Wieselberg durante o Fórum, bastou escolher o item e selecionar o SafetyPay como forma de pagamento. O sistema direcionou o usuário diretamente para o Banrisul, onde então foram inseridas as informações normais de uso do home banking.

“Nós simplesmente dizemos que foram pagos tantos reais pela fatura tal e que a loja já pode liberar o produto para o cliente. Não há risco de ter os dados roubados por um ataque aos dados da Amazon, por exemplo. Tudo fica entre o banco e o cliente”, explica o executivo.

Todas as transações são realizadas na moeda do banco parceiro, convertidas automaticamente.

Reforço no online
Além de favorecer os clientes, diz Wieselberg, a SafetyPay deve dar uma forcinha para a área de internet banking do Banrisul.

“É possível, por exemplo, fazer promoções de grandes marcas para os clientes de um banco específico, dando um reforço na área de internet”, projeta o executivo.

Além disso, parte do percentual cobrado dos estabelecimentos é repassado para os bancos.

Banrisul e Safety em números
Em 2010, os clientes do banco estadual realizaram 99,7 milhões de transações via home ou office banking, movimentando R$ 78,6 bilhões – um aumento de 21,9% frente ao volume de transações de 2009.

O banco tem 3 milhões de correntistas. No ano passado, o Banrisul alcançou lucro líquido de R$ 741,2 milhões – 37% acima do registrado no ano anterior.

Atualmente, a SafetyPay tem parcerias com 18 bancos, incluindo o Banrisul, cujas negociações começaram em dezembro de 2010. No Brasil, também é parceiro o HSBC.

No mundo todo, são 100 milhões de correntistas que usam o sistema de pagamentos.