Futura Networks vai levar a Campus Party para os Estados Unidos

A Futura Networks vai realizar uma edição da Campus Party nos Estados Unidos em 2012, ampliando o faturamento de todas as unidades regionais da feira para € 20 milhões.

Segundo a empresa, uma multinacional espanhola cuja sede no Brasil fica em Porto Alegre, a intenção é reunir 10 mil pessoas em um hangar da Nasa em São Francisco em agosto.

A expectativa é a edição americana se torne uma das maiores edições globais da feira em número de participantes.

Criada em Valência, na Espanha, a Campus Party tem sua maior edição realizada no Brasil, o que faz do país uma referência para levar o evento a outros países.

A edição norte-americana da feira é apenas a primeira parte da expansão prevista para a Campus Party ao longo dos próximos dois anos, já que estão previstas edições em Berlim, Alemanha e Inglaterra, ainda em 2012.

Em 2013, será a vez da Ásia.

Realizada em São Paulo em janeiro, a edição brasileira reuniu 6.800 pessoas em 2011 e poderá chegar a 7.500 já em fevereiro do próximo ano, quando acontece o evento nacional.

Mais perto das grandes
Segundo Mário Teza, presidente da Futura Networks Brasil, revelou à Folha.com, a escolha do local também ajudará a aproximar empresas como Google, Apple, entre outras empresas Califórnia, dos participantes do evento.

Aproximar empresas e talentos é uma marca também de outro evento que Teza participa, o Fórum Internacional Softawre Livre (fisl), realizado há mais de 10 anos em Porto Alegre, promovido pela Associação Software Livre (ASL), da qual Teza foi um dos primeiros membros.

Grupos como Google, iG, Globo.com e SAP já recrutaram no Fisl. E na Campus Party Brasil, empresas como Vivo, Totvs e Telefônica já buscaram jovens funcionários.

“Nos Estados Unidos queremos aproximar principalmente jovens empreendedores do setor de tecnologia e fundos de investimento do Vale do Silício”, disse Teza, sem acrescentar potenciais recrutadores.

Já a parceria com a Nasa está relacionada a uma das áreas de estudo da feira, a tecnologia espacial.

Rede de inovação
Os € 20 milhões devem vir dos patrocínios, inscrições e com o pagamento de empresas pelo acesso aos registros dos participantes das edições da feira – que geralmente mantém contato numa rede e cooperação.

No Brasil, são cerca de 43 mil brasileiros entre 150 mil participantes globais, que fora da Campus Party continuam interagindo por fóruns para inovação aberta na internet.

Entre as organizações interessadas em aproveitar as ideias dos participantes está a prefeitura de Porto Alegre, que buscou na rede boas ideias para resolver problemas urbanos.

Em troca das boas ideias, estão notebooks e R$ 15 mil em dinheiro para os primeiros colocados. Até agora cerca de 400 pessoas participaram do processo de inovação gaúcho, que anunciou os aprovados no início da semana.