Kekanto recebeu investimento estrangeiro e nacional para crescer

O Kekanto, guia brasileiro de estabelecimentos locais, é uma das mais novas startups a entrar na mira de investidores. O serviço recebeu recentemente aporte da americana Accel Partners.

Não foi revelado o valor do investimento.

Se sabe, no entanto, que o nome Accel é de peso. Venture Capital sediado no Vale do Silício (Estados Unidos), o Accel também apostou cedo em empresas como o Facebook e o Groupon.

Além do Accel, participou da rodada a Kaszek Ventures, fundo de investimentos liderado pelos cofundadores do MercadoLibre.

Pé no acelerador
O capital e os novos parceiros têm o objetivo de acelerar o crescimento do Kekanto, destinando recursos à contratação, novas campanhas de marketing e expansão internacional da empresa.

“Com a participação ativa do sócio da Accel, Andrew Braccia, o Kekanto poderá oferecer ao público brasileiro o que o mundo tem de melhor em termos de tecnologia para guias locais”, afirma Fernando Okumura, cofundador e CEO do Kekanto.

Lançado em 2010 pelos alunos da Universidade de São Paulo Fernando Okumura, Allan Kajimoto e Bruno Yoshimura, o Kekanto se autointitula um guia de serviços colaborativo.

No Kekanto, usuários e seus amigos avaliam e dão dicas sobre os estabelecimentos que frequentam e, quando alguém precisa da indicação de um restaurante em um determinado bairro, por exemplo, encontra no Kekanto uma lista de opções avaliadas pelos seus amigos ou pelo público em geral.

Dicas sobre onde estacionar ou que prato pedir também fazem parte do app. O usuário também encontra o endereço, telefone e  a rota até o estabelecimento a partir de sua coordenada GPS.

Investidores made in Brasil
O momento é bom para startups no Brasil, em termos de receber investimentos. Nesse ano, fundos como o brasileiro Astella já investiram em empresas como SmartKids e Imobox.

Fazem parte do Astella os sócios Edson Rigonatti, que soma mais de US$ 3 bilhões em transações de M&A em TIC; Laura Constantini, que atuou em mais de 50 operações de due-dilligence em TI; e Martino Bagini, que já foi COO da RealMedia Latin America.

A Telefònica recentemente abriu no Brasil o programa Wayra, em que até US$ 70 mil para startups.

E em abril, investidores do Vale do Silício desembarcaram no Brasil, no programa Geeks On a Plane, com Dave McClure, investidor e fundador da incubadora 500startups, Toni Schneider, CEO da Wordpress, e outros investidores, para trocar experiências com empresários brasileiros.

Além disso, já surgem no Brasil os investidores-anjo, como Floripa Angels, Gávea Angels, São Paulo Anjos e Bossa Nota.