A IBM definiu o Firefox como seu browser padrão. É o que anunciou na quinta-feira, 01, o vice-presidente de Linux e software open source da empresa, Robert Sutor, em seu blog pessoal.

O executivo não diz qual era o browser padrão antes dessa decisão, ou mesmo se existia algum, mas seja qual for o programa utilizado por um dos mais de 400 mil funcionários, ele será encorajado a mudar para o Firefox, afirmou.

“Alguns dos programas que usamos não os deixariam surpresos já que nós mesmo que os produzimos, como o Lotus Notes, o Lotus Sametime e o Lotus Symphony. Bem, estamos adicionando mais um software na nossa lista de aplicativos padrão: o Mozilla Firefox”, enfatizou Sutor.

Entre os motivos enumerados pelo executivo para a adoção do navegador estão a compatibilidade, o funcionamento por padrões abertos, o fato de ser open source e as extensões que o tornam customizável, segundo informações do IDG Now!.

Sutor ainda destacou entre as razões da escolha o desenvolvimento por uma comunidade sem relação com corporações. Seria o argumento mais interessante, visto que o Chrome, mesmo sendo open source, pertence à Google; o Internet Explorer é controlado pela Microsoft; e o Safari é desenvolvido pela Apple; restando apenas o Opera, que está a cargo de uma empresa privada, a Opera software.

O executivo, no entanto, não deixa de esclarecer que realmente considera o Firefox mais avançado que seus rivais.

“Enquanto alguns navegadores surgem e outros deixam de existir, o Firefox continua sendo o padrão de qualidade sobre o que um navegador aberto, seguro e compatível deva ser. Sempre aparecerá um que seja mais rápido, outro com mais recursos, mas aí virá um terceiro ainda melhor, incluindo aí o próprio Firefox”, elogiou.