A Apple liberou nessa segunda-feira, 01, uma versão beta do serviço na nuvem iCloud.

Pelo endereço iCloud.com, usuários das plataformas Mac OS X Lion e do iOS 5 (sistema operacional móvel da Apple que roda no iPhone e no iPad, também ainda em versão beta para desenvolvedores) podem acessar o serviço.

O acesso, no entanto, é restrito a quem tem um Apple ID.

Além de abrir a plataforma, a Apple divulgou os preços para o uso do serviço: os primeiros 5 GB serão gratuitos. Os gigabytes adicionais, no entanto, custarão de US$ 20 (10GB), a US$ 100 (50 GB).

No iCloud, é possível disponibilizar canções e outros dados na internet, através de dispositivos como iPhone ou iPad.

Outras opções na praça
Já existem serviços com as mesmas funções. O Dropbox, por exemplo, oferece 2 GB gratuitos, e cobra US$ 120 ao ano pelo uso de 50 GB, ou US$ 240 por 100 GB.

Usuários Linux têm acesso ao Ubuntu One, da Canonical, que também oferece o armazenamento de arquivos na nuvem a partir de 5 GB, gratuitamente, além de um serviço focado no streaming de músicas, por US$ 39,99 ao ano, chegando a 20 GB.

Dentro do pacote da Canonical – compatível com sistemas Linux e Windows –, 20 GB de armazenamento adicional custam US$ 29,99/ano.

Em palestra em Porto Alegre no último Fórum Internacional Software Livre (fisl12), Jon Melamut, vice-presidente de Serviços OEM e Produtos da Canonical, disse que a empresa não descarta estender a compatibilidade dos seus serviços na nuvem aos dispositivos da Apple.