A campanha de arrecadação digital de Marina Silva foi classificada como um fracasso retumbante pela jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna na Folha de S. Paulo nesta quarta-feira, 07.

De acordo com a jornalista, dois meses depois de lançar a campanha, o Partido Verde de Marina Silva arrecadou R$ 2.500 - dinheiro que não cobre sequer o salário de um dos seis funcionários que cuidam dos sites da pré-candidata à Presidência da República na web.

“A internet ainda não deu muito resultado para nós. É difícil conseguir contribuições", declarou o vereador Alfredo Sirkis (PV-RJ), coordenador da campanha presidencial à colunista.

O vereador afirmou ainda que a internet não terá o peso que teve na eleição norte-americana. Ainda assim, há esperaças de arrecadar mais até o final da campanha.

"Quando a campanha eleitoral pegar fogo e as contribuições forem diretamente para a candidata, e não para o partido, vamos arrecadar mais", declarou Sirkis.

Presença online
Em fevereiro, a candidata à presidência pelo Partido Verde lançou seu blog e perfil no Twitter.

"Não vou cultivar a falsa idéia de que sou uma super-mulher, capaz de realizar uma série de atividades e ainda cuidar sozinha da alimentação deste blog”, declarou no post de estreia, explicando a necessidade de uma equipe para administrar a plataforma.

“Mas tenham também a certeza de que aqui encontrarão o meu olhar, a minha escuta, a minha fala e a minha visão da política", completou.

Já no Twitter, a equipe da candidata responde replies, retwitta conteúdo e atualiza a agenda da candidata. Até o momento, 15.400 internautas seguem seus tweets.