Levantamento feito pelo vagas.com.br com base em mais de 54 mil currículos cadastrados no site indica que boa parte dos profissionais com mais de 30 anos ainda não aderiu a Twitter, Facebook e LinkedIn.

Segundo os dados, divulgados pelo jornal Valor Econômico, apenas 8% dos profissionais com idade entre 30 e 34 anos têm perfil no Facebook, 9% usam o Twitter e 11%, o LinkedIn.

Entre aqueles com mais de 35 anos, a participação é ainda menor: 4% para o Twitter e 5% para LinkedIn e Facebook.

Os profissionais que mais aderem às redes sociais, segundo a pesquisa, são os mais jovens. Entre aqueles com menos de 24 anos, 44% têm cadastro no Twitter e 43% no Facebook.

No LinkedIn, a participação é um pouco menor, 25%. Na faixa etária entre 25 e 29 anos, 54% têm perfil no LinkedIn, 41% usam o Facebook e 40%, o Twitter.

Há controvérsias
Outra pesquisa realizada nesse ano aponta que a rede social mencionada no currículo está diretamente ligada à idade e ao salário do profissional.
 
Segundo o levantamento da Vagas Tecnologia com 51 mil currículos, 21% dos profissionais com remuneração acima de R$ 4 mil relacionam o LinkedIn no currículo. Apenas 6% mencionam seus perfis no Facebook ou Twitter.
 
Entre os jovens de até 24 anos, 44% e 43% associam o Twitter e Facebook respectivamente.
 
Mas a situação muda quando eles atingem idades entre 25 e 29 anos. Nessa faixa etária, 54% dos candidatos incluem o perfil do LinkedIn no currículo contra 40% de associação ao Twitter e 41% ao Facebook.